sábado, 31 de maio de 2008

Acidente fatal no Morro da Babilônia.

É com pesar que mais uma vez ficamos sabendo de um acidente fatal ocorrido no Rio de Janeiro no Morro da Babilônia, novamente no rapel. As infomações preliminares comunicam que um casal em descida de rapel em dupla (um em cada ponta da corda) caiu em decorrência de provável falha no procedimento de união das cordas. Segue abaixo nota publicada pela imprensa:

Alpinista morre no alto no Morro da Babilônia

Plantão | Publicada em 30/05/2008 às 15h24m.

Simone Cândida - O Globo

RIO - Os bombeiros confirmaram que um dos dois alpinistas resgatados esta tarde no
Morro da Babilônia faleceu. Trata-se de um homem. O outro resgatado, uma mulher,
encontra-se em estado gravíssimo, com fratura exposta e em estado de choque.
Bombeiros do Quartel do Humaitá foram chamados para resgatar quatro alpinistas
que estavam presos no alto do morro. Segundo as primeiras informações dos
bombeiros, eles teriam ficado presos por causa dos ventos. Outros dois continuam no alto
do morro.

2 comentários:

Marcelo Bhering, Rio de Janeiro disse...

Prezados, gostaria de aisar que esta cópia de matéria que vcs publicaram contém informações equivocadas. Acompanhei o caso por diversas agências de notícias, e também pela TV. A única mulher do grupo, Daniela, sofre ferimentos leves, e foi resgatada de Helicóptero junto com o namorado. Outros três membros do grupo é que tiveram ferimentos graves, onde dizem que um acabou por ser enforcado pela corda.

Há matérias publicadas hoje contendo informações um pouco mais precisas. Vale a pena conferir.

Ainda, pratico escalada em rocha na há alguns anos, principalmente na Urca, e desconheço outra fatalidade no mesmo local. Caso haja uma matéria ou link, poderia fornecer? Grato.

André Zancanaro disse...

Olá Marcelo, acabei de postar uma notícia atualizada sobre o ocorrido que informa sobre o fato dos escaladores serem iniciantes e da hipótese de terem se utilizado de um nó de união de cordas de maneira equivocada. Infelizmente esse lance de nó errado está se tornando corriqueiro. É hora das Federações agirem no sentido de homologar cursos e tentar padronizar as técnicas básicas de escalada em rocha, na minha opinião. Abraço.